Na Montanha

CURSO DE ESCALADA EM GELO 2017

 

Curso de Gelo_2017_div

 

 Curso de Escalada no Gelo, Progressão em Glaciar e Planejamento de Expedições do CAP

O objetivo fundamental do Curso é habilitar os alunos a idealizar, organizar e conduzir expedições independentes e bem sucedidas a alta montanha.  O Curso, independente, sem a contratação de guias locais, será ministrado na Cordillera Real da Bolivia, próximo a La Paz nas cercanias do Cerro Huayna Postosí (6088m), podendo haver uma tentativa posterior na região do Condoriri (dependendo do andamento do Curso e condições climáticas).  A sua formatação busca assemelhar-se o máximo possível a uma expedição real, onde os alunos irão participar ativamente de todas as tomadas de decisões relevantes ao grupo, e ao final estarão aptos a escalarem de forma independente e autônoma pelo menos 1 das montanhas propostas acompanhados dos instrutores.

Data de Início do Curso: 18 de junho de 2017 as 9:00 em La Paz

Data de Término do Curso: 1 de Julho de 2017 as 18:00 em La Paz 

 

Conteúdo trabalhado no curso:

  • Teoría e Prática de Organização de Expedição (custos, logística, divisão de tarefas, contratação de carregadores, guias, transporte, etc)
  • Teoria de Graduação de Montanhas
  • Teoria de Fisiologia Humana em Altitude, Patologias, Tratamentos e Aclimatação
  • Teoria de Nutrição em Alta Montanha
  • Teoria de Formação, Geografia e Fisionomia de Glaciares
  • Teoria e Prática de Progressão em Neve e Glaciar (navegação, uso dos equipamentos, auto detenção, encordamento,  técnicas de progressão em diferentes inclinações, itens de segurança, técnicas de ancoragens e segurança, técnicas de rapel, etc)
  • Teoria e Prática de Escalada em Gelo (tecnicas de encordamento e trabalho de corda, uso de equipamentos, ancoragens, equalização, técnicas de escalada, abalacov e rapel)
  • Teoria e Prática de Auto Resgate em Gretas
  • Teoria básica de estudo de avalanches

As aulas começam ainda no Brasil, com encontros presenciais ou virtuais onde discutiremos a logística da expedição e demais assuntos relacionados ao preparo do curso.  Os alunos ainda terão duas saídas práticas onde devem demonstrar suas aptidões com técnicas de escalada em rocha e demonstrar condicionamento físico adequado.  O restante será ministrado ao longo dos 14 dias na Cordillera Real, o que inclui toda aclimatação e ao menos uma tentativa independente de ataque ao cume.  Os alunos irão participar ativamente da organização de toda logística da expedição, definindo hospedagem, meios de transporte, alimentação, porteios e outros detalhes junto com instrutores do Curso, assim como serão incentivados a tomarem decisões que irão afetar toda a expedição.  Desta forma, será de responsabilidade do grupo de alunos, com o auxilio e orientação dos instrutores, de definir detalhes da expedição, como abrigos, locais de acampamento, etc.

 

Requisitos desejáveis para participar do Curso:

  • Curso Basico de Montanhismo ou similar ha pelo menos 1 ano.
  • Proficiência em nós e técnicas básicas de escalada (ancoragens, equalizações, técnicas de segurança)
  • Proficiência em técnicas de acampamento
  • Ter realizado pelo menos o 2 trekkings de 2 ou mais dias
  • Estar guiando 5o grau (br) na escalada em rocha confortavelmente (Tradicional)
  • Conseguir percorrer 10k no espaço de 80 minutos

Salientamos a necessidade dos alunos de estarem em boa forma física para um aproveitamento pleno do curso.  Iremos trabalhar boa parte do Curso em altitudes superiores a 4700m o que apresenta um grande desafio didático e psicológico, mas ao mesmo tempo oferece uma oportunidade única de vivenciar a realidade da vida em alta montanha e das dificuldades que uma expedição pode encontrar pelo caminho.  Se o candidato não preencher um ou outro requisito a sua participação no curso pode ser discutida com os instrutores, sendo cada caso analisado individualmente.

 

Equipamento Individual Básico Necessário:

  • Saco de Dormir pelo menos 0 oF ou –18 oC
  • Isolante térmico
  • Mochila de ataque (25-45L)
  • Mochila cargueira (70-80L)
  • Botas Duplas ou Simples de Alta Montanha (plastico ou sintéticas)
  • Roupas de expedição (camisetas, 1a camada, fleece leve, fleece pesado, calça impermeável, jaqueta impermeável, parka duvet ou sintético com capuz)
  • Meias sintéticas ou de lã (3-4 pares pesados 3-4 pares liners 3-4 pares trekking leve)
  • Luvas (1 par leve, 1 par média/pesada impermeável)
  • Gorro e boné
  •  Polainas impermeáveis
  • Bota de trekking / Tenis
  • Utensílios de hidratação
  • Óculos de Glaciar (mínimo Cat 3, recomendável Cat 4)
  • Headlamp
  • Bastões de caminhada

 

Equipamento Técnico e/ou Coletivo Necessário:

  • Barraca 4 estações (1 a cada 2 ou 3 pessoas)
  • Freio tipo plaqueta com função Guia  (1 por pessoa)
  • Mosquetões (4-6 com trava 6-8 sem trava por pessoa)
  • Fitas (Nylon ou Spectra 1-2 de 60cm, 1-2 120cm por pessoa)
  • Cordelete (5.5mm – 7mm X 6m por pessoa)
  • Cordins (1 5mm x 1m / 1 5mm x 2m por pessoa)
  • Estaca de Gelo (1 por pessoa)
  • Piquetas (2 técnicas e/ou 1 clássica por pessoa)
  • Crampons (12 pontas, semi ou automático por pessoa)
  • Cadeirinha (1 por pessoa)
  • Capacete (1 por pessoa)
  • Corda (2 meias ou gemeas para cada 2 pessoas)
  • Parafusos de Gelo (1 por pessoa)
  • Pá (2 pelo grupo)
  • Utensilios de cozinha

Todos estes itens são necessários aos alunos e ao grupo.  Salientamos no entanto que alguns itens podem ser fornecidos pelo CAP (de acordo com a disponibilidade), pelos instrutores e muitos deles podem ser alugados em La Paz.  O Clube também poderá auxiliar os alunos na obtenção destes equipos emprestados.  Maiores detalhes serão definidos nas aulas teóricas antes do embarque para a Bolivia.

Custo a ser pago ao Clube Alpino Paulista: USD 980.00  (não sócios) ou USD 870.00 (sócios)

Este custo inclui todas aulas, material didático, instruções e tentativas de cume com uma relação de pelo menos  1 instrutor para cada 3 alunos.  O custo não inclui a logística da expedição (aéreo, hospedagem, transporte, alimentação na cidade ou na montanha, seguro pessoal, equipamentos e demais custos de logística ou pessoais).  Buscamos nos aproximar o máximo possível de uma expedição independente e tradicional, desta forma muitos detalhes ficarão a cargo dos alunos definirem e arcarem ao longo do Curso.  O gasto estimado para toda logística na Bolivia fica em torno de USD 600.00 por pessoa, podendo variar de acordo com a vontade do grupo de alunos.  Atualmente a passagem mais barata de ida e volta para La Paz está em torno de USD 350.00 pela Boliviana de Aviación.  Temos condições facilitadas de pagamento, inclusive com parcelamento no cartão.

Nos colocamos a sua disposição para maiores informações ou esclarecimentos.

contato@cap.com.br

 

 

 

 

 

 

 

Curso Básico de Montanhismo (CBM)

banner 2

Dia 08 de março às 21h acontecerá a palestra de apresentação de um dos cursos de montanhismos mais tradicionais do país.

Interessados devem comparecer ao CAP durante a reunião semanal aberta – sempre às quartas-feiras, a partir das 20h – e se inscrever para a lista de espera.

É absolutamente necessário comparecer à palestra de apresentação e a inscrição final só será feita nesta data.

O curso compreende aulas teóricas de duas horas cada, e aulas práticas (tipicamente em seis fins de semana). As teóricas são às quartas (das 20h30 às 22h30) na sede do CAP. As práticas usualmente são em Bragança Paulista,  Andradas (Pedra do Pântano), São Bento do Sapucaí (Pedra do Baú), Pico do Marins (MG) e Itatiaia (PNI).

Custo: R$ 1.650,00 em parcelas ou
pagamento à vista: R$1.500,00 pagos ao fim da palestra de apresentação.

Total de alunos por semestre: 12

Há subsídio de 50% do valor do curso para 02 estudantes até o nível de graduação. Se houver mais alunos nessa condição, o subsídio será dividido pelo número de alunos.

Pagamento: cheque, dinheiro, débito ou crédito.

Programação de aulas e saídas abaixo.

Datas:

08/03/2017 Palestra de apresentação

 22/03/2017 CBM – Equipamentos

29/03/2017 CBM - Orientação e Navegação

05/04/2017  CBM – Meteorologia

12/04/2017  CBM – Feed Back

19/04/2017 CBM – Ética e Mínimo Impacto

26/04/2017 CBM – Escalada 1

03/05/2017 CBM – 90 graus

10/05/2017 CBM – Primeiros Socorros

 17/05/2017 CBM – Escalada 2

 24/05/2017 CBM – História do Montanhismo

14/06/2017 CBM – Prova

Saídas:

01/04/2017 Saída Marins

08/04/2017 Saída Orientação e Navegação

06/05/2017 Saída Pedra Bela

20/05/2017 Saída Andradas

27/05/2017 Saída PNI

03/06/2017 Saída Baú

 

Tá limpo, Jaraguá

A idéia

As Nações Unidas declararam o ano de 2002 como Ano Internacional das Montanhas em reconhecimento à função decisiva que as montanhas têm na vida de todos.

Este ano internacional se reporta à Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, celebrada no Rio de Janeiro em 1992 (ECO 92). Na ECO 92 se concedeu um lugar aos temas relacionados com as montanhas, lavrado no Capitulo XIII da Agenda 21, documento base do desenvolvimento sustentável.

Através do desenvolvimento sustentável é possível:
- Reduzir a pobreza e a fome
- Proteger os frágeis ecossistemas de montanhas
- Conservar a biodiversidade
- Promover a paz e a estabilidade
- Propiciar um maior bem estar para os moradores das montanhas

Junto com esse acontecimento mundial, tivemos aqui no Brasil o lançamento de um Programa chamado Adote uma Montanha por iniciativa da FEMESP (Federação de Montanhismo do Estado de São Paulo).

Ele propõe a sensibilização e mobilização das comunidades em torno de atividades que protejam e dêem manutenção nos ambientes de montanha. Esta necessidade surgiu devido à crescente degradação dos picos e morros visitados para a prática de trilhas e escaladas.

O motivo
Nós, do CAP, temos um carinho especial pelo Parque Estadual do Jaraguá, pois, além de ser a maior reserva urbana de que dispomos na cidade de São Paulo, um motivo mais que suficiente para amá-lo, temos o Jaraguá como berço da história do clube, onde Domingos Giobbi (fundador do CAP) criou três campos-escola para escalada e ministrou os primeiros treinamentos do Clube.

 

A composição
“Todas as pessoas têm disposição para trabalhar criativamente. O que acontece é que a maioria delas jamais se dá conta disso.”
Truman Capote

Todo trabalho desenvolvido pelo CAP no Parque Estadual do Jaraguá é realizado por uma equipe de voluntários. Através de avaliações, temos constatado que o companheirismo e sentimento de união empregados nas expedições de montanha, quando utilizados nas práticas de preservação têm rendido bons frutos.

O que é ser voluntário?
Ser voluntário é saber converter a solidariedade ao próximo em ação efetiva. Voluntário é o cidadão que doa seu tempo, trabalho e talento, de maneira espontânea e não remunerada, para causas de interesse social e comunitário. No nosso caso em particular, estes trabalhos têm sido direcionados às montanhas e ecossistemas ao redor.

O que é trabalho voluntário?
Trabalho voluntário é uma atividade não remunerada exercida em benefício da sociedade que fortalece o sentido de solidariedade e de responsabilidade social. É uma via de mão dupla que gratifica quem trabalha ao mesmo tempo em que oferece novas experiências e mais oportunidades de aprendizado.

O que é necessário para exercer um trabalho voluntário?
Basta decidir ajudar, escolhendo uma forma de utilizar aptidões que cada um tem em benefício de algum projeto ou instituição.

Quanto tempo é necessário dedicar a esse trabalho?
O voluntário pode dedicar algumas horas por dia, por mês ou por ano. A atividade pode ser ocasional ou rotineira. O importante é assumir um compromisso com aquilo que se pode cumprir. O trabalho voluntário não deve comprometer o lazer, o tempo dedicado à família e às escaladas. Apesar de não remunerado, o trabalho voluntário pressupõe responsabilidades com os compromissos assumidos, portanto deve ser ajustado à rotina de cada um.

Como participar
Se você é empresário e quer apoiar esta idéia Envie uma mensagem.

Se você deseja ser um voluntário, inscreva-se na lista de interessados e fique por dentro das atividades. Envie um e-mail para talimpojaragua-subscribe@yahoogroups.com.br e receba seu convite.

Quem apóia?
Conheça os parceiros do CAP nesta iniciativa.

Atividades

- O que acontece?

– O que já aconteceu?
Conheça o histórico das atividades do Projeto Tá Limpo, Jaraguá.

“Para ser bem sucedido no trabalho, a primeira coisa a fazer é apaixonar-se por ele.”
Mary Lauretta