Na Montanha

Nossa História

Fundado em 26 de junho de 1959, como entidade sem fins lucrativos, por iniciativa de Domingos Giobbi, com o propósito de unir um disperso grupo de afeiçoados à natureza e às atividades alpinas, o CLUBE ALPINO PAULISTA – CAP, foi, com seus próprios recursos, progressivamente expandindo suas atividades e difundindo a prática desse esporte, até então pouco conhecido, no país.

Ao longo dos seus quase 58 anos de existência, o Clube já contou com mais de 1.000 associados. O CAP atualmente dedica-se à exploração e conquista de montanhas brasileiras e do mundo, organizando e participando de expedições, tanto no Brasil como no exterior.

Ministra anualmente vários cursos, entre eles o Curso Básico de Montanhismo, Curso de Auto-resgate, Curso de Orientação, Curso de Meterorologia para Montanhistas e o Curso de Escalada em Gelo.

Orgulha-se por ter sido responsável pela criação da primeira Escola de Guias do Brasil que inclui atividade em alta montanha, atualmente em plena atividade, além de desenvolver atividade marcante no campo da espeleologia – exploração de cavernas – e de haver mapeado, para atividades de montanhas, diversas regiões do país.

Reconhecido pelo então Conselho Nacional de Desportos, foi membro da Federação Internacional de Ski, desde 1966 até 1990.

 

O CAP é membro fundador da Associação Brasileira de Ski e Snowboard. É filiado às entidades:


UIAA
– União Internacional das Associações de Alpinismo

UPAME – União Panamericana das Associações de Montanhismo e Escalada

FEMESP – Federação de Montanhismo do Estado de São Paulo

CBDN – Confederação Brasileira de Desportos na Neve

 

 

 

 

Domingos Giobbi

Em 1948 se associou ao Clube Alpino Italiano onde conheceu Carlo Mauri
Nos anos seguintes fez outros cursos entre eles o de Alta Montanha, onde conheceu Walter Bonatti e juntos escalaram bastante na região das Dolomitas.

12/02/53 Aconcágua

25/02/55 Tolossa (Sobre essa escalada ele gostava de contar que encontrou uma latinha de comida, acho que presunto, com uma embalagem de filme dentro e nesta havia uma carta do Ryan, que havia participado de uma expedição a aquela montanha em 1925. Ele mandou, não sei se o original ou uma cópia para a esposa do Ryan, que nesta época já havia falecido (e se encontra sepultado em Puente del inca). Não sei exatamente porque, se ele era fan do Ryan, mas ele sempre contava essa historia

1959 Fundou o CAP

09/1959         1ª ascensão do Rajutuna Norte (5.349)

07/1960         1ª Ascensão do Yanawanka (5.180)
2ª Ascensão (via nova) Caullaraju Norte (5.420)
1ª Ascenção do Caullaraju Central (5.636)

07/1961         Caullaraju Oeste (5.582)

07/1962         1ª Ascensão do Quenuaracra (5.353) + Caullaraju Este (5.686)
1ª Ascenção do Quenauaracra Chico (5.147)
1ª Ascensão Caullaraju Oeste III (5.500)
1ª Ascensão Caullaraju Oeste IV (5.460)

07/1963         1ª Ascensão  Tuco Este (5.460) + Condorjitanka (5.392)
1ª Ascensão Huicsu Sur (5.437)

08/1963         1ª Ascensão do Raria Norte (5.590) + Raria Este I (5.460) e Raria Este II (5.380)

06/1964         1ª Ascensão do Pongos Norte I (5.680)

07/1964         Nova Via em Pongos Sul (5.711)

07/1965         1ª Ascensão Nevado Rurek

06/1966         1ª Ascensão Uruashaju (5.735)

1967               Foi Convidado a participar do Clube Alpino Acadêmico Italiano e recebeu no mesmo ano uma medalha da UPAME e o Condor Dourado do exército Argentino por seus feitos.

1968               1ª Ascensão Huallanca Norte (5.470) + Hullanca Sul (5.400) + Tunacancha (5.320) + Minapata (5.260)

1971               2ª Ascensão (por via nova) Hualcan Oeste (5.645)

1972               2ª Ascensão (por via nova) Huantsan Sul (65.395)
1ª Ascensão Huantsan Oeste (6.270)

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Em diversas expedições o Giobbi levou com ele geólogos ou ele mesmo fez mapas das regiões que explorava. Alguns destes mapas se encontram até hoje disponíveis

Pelas expedições e mapeamento foi agraciado pelo Conselho Provincial de Huaraz com o Diploma de Honra e Medalha de Ouro
Ele também escalou muita coisa em rocha e sempre gostava de contar as histórias do Pico do Jaraguá e como o Lionel Terray se machucou em uma das vias.
Ele e o Carlos Mauri participaram da filmagem e produção do filme “Fiesta Andina”. O Filme ganhou diversos prêmios na Itália